Opinião

As Papilas do Senhor Reitor

26 set 2019 00:00

Ora, entre estes dois regimes alternativos e aquilo que serão as ementas da Universidade de Coimbra, a diferença é abissal.

Cai o Carmo e a Trindade com a medida na Universidade de Coimbra que decide não utilizar carne de vaca nas cantinas da mais antiga universidade do País, a partir de 2020.

Das ementas de sete dias seguidos consegui ver, em 14 refeições (almoço e jantar), dois pratos com carne de vaca: Almôndegas (bovino, porco) e Vitela à Lafões, ou seja, apenas 14% das refeições.

Além disso, os estudantes continuam a comer diariamente, se assim o desejarem, carne: de peru, frango ou porco.

Esta pequena análise – que demorou cerca de cinco minutos de consulta na net - está ao alcance da maioria dos comentadores públicos que, no entanto, não se coibiram de vociferar contra a medida, com o argumento de que os pobres estudantes estavam a ser condenados a ser vegetarianos – quando não vegans – à força.

Ora, entre estes dois regimes alternativos e aquilo que serão as ementas da Universidade de Coimbra, a diferença é abissal.

Na verdade, a única coisa que mudará em 2020, se comparado com o que se passa actualmente nas 14 cantinas de Coimbra, são 14% das refeições cuja proteína não será de origem bovina.

A retirada da carne de vaca das ementas não belisca o livre consumo de bifes, bifinhos e quejandos; quem quiser continuará a fazê-lo em sua casa, onde quiser.

Mas não pela mão do Estado, na universidade, onde o exemplo da urgência com que se deve olhar para a crise climática pode e deve ser dado.

Face à pequena mudança, o alarido nacional de aijesuzes, absolutamente desproporcionado, mostra várias coisas e nenhuma delas é simpática. Que a medida é autoritária!

O que pensar então de outras med

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO