Opinião

Leiria, da UNESCO à plasticidade

7 nov 2019 12:33
adelio-amaro-presidente-do-cepae
Adélio Amaro, presidente do CEPAE

Se o projecto da candidatura foi um sucesso, o resultado foi bem maior.

Nunca Leiria tentou desenvolver um projecto de união cultural entre concelhos, além distrito. Agora, são 26 os concelhos que se uniram ao projecto de candidatura de Leiria (como região) a Capital Europeia da Cultura, em 2027.

Rapidamente se entendeu que o concelho de Leiria teria de unir esforços com mais concelhos, para além dos vizinhos, para apresentar uma candidatura conjunta e mais ampla, criando, desta forma, a Rede Cultura 2027 Leiria.

Todavia, se por um lado a rede está a unir os agentes culturais dos 26 municípios, assim como as Comunidades Intermunicipais de Leiria, Oeste e Médio-Tejo, por outro o município de Leiria vai apostando noutras candidaturas que ajudam a realçar o seu valor cultural.

Exemplos recentes são o prémio internacional que o Museu de Leiria recebeu e a nomeação, pela UNESCO, de Leiria a Cidade Criativa na área da Música.

No primeiro, o Museu de Leiria recebeu mais um prémio internacional pela sua exposição “Plasticidade – Uma História dos Plásticos em Portugal”, atribuído pela Sociedade para a História da Tecnologia.

Esta exposição é fruto da parceria entre o Município de Leiria e do projecto de investigação “O Triunfo da Baquelite – Contributos para uma História dos Plásticos em Portugal”, desenvolvido no Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia, coordenado por Maria Elvira Callapaz e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

O segundo é fruto de uma candidatura que durante meses foi preparada e desenhada de forma a conseguir o sucesso. Isto é, ser “Cidade Criativa” na área da Música, pela UNESCO.

Se o projecto da candidatura foi um sucesso, o resultado foi bem maior.

Fruto do trabalho desenvolvido, Leiria conseguiu ser uma das 66 cidades, em todo o mundo, que a UNESCO anunciou a 31 de Outubro que se juntam à Rede de Cidades Criativas, num total de 246 membros.

Esta rede engloba a criatividade na música, nas artes e artesanato etnográfico, design, cinema, literatura, artes digitais e gastronomia. Estes são dois exemplos de como as parcerias foram fundamentais para o sucesso.

Se a estes juntarmos um conjunto, bem significativo, de eventos culturais que vão acontecendo nos 26 municípios, temos sem dúvida uma candidatura forte.

Agora, é crucial conseguir a rede da população em geral, de forma a reforçar os agentes culturais e consequentemente esta enorme candidatura que é Leiria a Capital Europeia da Cultura, em 2027.