Opinião

Teorias rurais

1 mar 2020 09:28

Há, contudo, quem diga que não é evidente ser-se europeu em Carvide, ou na mata da Curvachia.

O revoltante período frio parece querer deixar-nos, abrindo as portas ao guarda-roupa primavera-verão 2020.

A tendência mais marcante para este ano, nos mercados europeus, passa pelo linho-assimétrico.

Esta fórmula conjuga ousadia no corte, com uma visão “bio” do bem vestir.

As senhoras da região que recentemente passaram por Milão informaram-me desta jogada, que aqui promovo, facilitando a escolha a freguesas menos abonadas que geralmente se dedicam a correr atrás do prejuízo.

Os muito significativos mercados africanos e asiáticos definem tendências mais diversificadas, mas ainda pouco consolidadas nas várzeas do Liz: zona que continua a tomar a Europa central como marcador privilegiado.

Há, contudo, quem diga que não é evidente ser-se europeu em Carvide, ou na mata da Curvachia. Não ouso aqui criar mais divisionismos, e assente-se por agora que a região se toma oficialmente como parte da Europa, e não como um rebotalho de homens e suínos instalados de forma avulsa nas margens férteis de um rio.

Prova eminente do que digo será uma outra tendência civilizacional que permanece forte para 2020: o vinho verde.

Também o racismo e a gripe chinesa se devem constituir como bons temas de debate.

Considero-me tão qualificado como qualquer outro cidadão para explorar estas áreas, mas demito-me por agora dos tratar, aguardando que estas toquem definitivamente a esfera regional.

A nível metropolitano destacam-se este mês as complicações criadas com os trabalhos desenvolvidos no sudeste da cidade.

A circulação rodoviária no sentido Marquês-São Romão e São Romão-Fonte Luminosa está de facto caótica.

Não se percebe o que se almeja com estas operações, quando até agora tudo corria sobre rodas.

Um elevador para o castelo? Um novo mercado? Um novo castelo? Um museu de cera com reproduções de figuras regionais e mundais?

Dificilmente se entendem estes projetos.

A pedonalização da Av. Nossa Senhora de Fátima parece criminosa, e a circulação na variante da ETAR/ Hospital faz-se a muito custo. Ao longe, já se escutam os tambores eleitorais.

Texto escrito segundo as regras do Acordo Ortográfico de 1990

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.