Viver

Dançarino com brilho de prata

23 fev 2020 15:00

Bernardo Venceslau é natural de Alcobaça

dancarino-com-brilho-de-prata
Vice-campeão fala da sua rotina de treinos
DR
Daniela Franco Sousa

Ao lado do seu par, Maira Caires, Bernardo Venceslau voltou recentemente a receber a medalha de prata do Campeonato Nacional na modalidade de Standard. Ao JORNAL DE LEIRIA, o jovem dançarino explicou quão duro e apaixonante é o caminho para se ser vice-campeão nacional pelo terceiro ano consecutivo.

Bernardo Pereira Venceslau nasceu há 23 anos na cidade de Alcobaça e, desde tenra idade, todos à sua volta se aperceberam do gosto e do jeito que tinha para dançar. Sempre estudou em Alcobaça e sempre foi óptimo aluno, digno de quadro de honra. E foi também neste concelho que começou a praticar dança. E a praticar bem.

“Sempre me disseram que tinha 'queda' para dançar, mas foi aos 12 anos, quando comecei a frequentar a Sociedade Filarmónica Vestiariense, que tudo começou a ser mais sério”, recorda o jovem dançarino. “Os meus pais ofereceram-me a oportunidade de aprender e foi amor à primeira vista”, conta Bernardo. “No primeiro ano em que dancei, conquistei o meu primeiro título. Ainda a nível regional e pela Sociedade Filarmónica Vestiariense”, recorda.

Depois de um ano a dançar naquela casa, a sociedade deixou de dinamizar essas aulas, mas o adolescente já não parou. Nos seis anos seguintes continuou a dançar pelo Hóquei Clube de Turquel, que só deixou de representar ao ingressar na universidade, em Lisboa. “No Hóquei Clube de Turquel alcancei títulos de campeão em todas as provas nacionais (Campeonato Nacional, Circuito Nacional, Taça de Portugal) e fui seis vezes campeão regional em seis anos”, conta o jovem.

E enquanto frequentava o curso de Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, manteve o ritmo no Clube Desportivo e Recreativo do Fogueteiro, no Seixal. “Os meus treinadores em Turquel já pertenciam a essa escola da Margem Sul”, salienta Bernardo. Por isso, realça, a escolha desta instituição acabou por ser bastante óbvia e com transição suave. Foi por esta altura que Bernardo começou a dançar com Maira Caires.

Os treinos continuaram durante os anos de faculdade e, nalguns casos, bem puxados, para acompanhar os campeonatos internacionais. A sua dedicação à dança passa habitualmente por seis a nove horas de treino semanal. Mas esta média dispara nos picos de preparação para as grandes competições, onde Bernardo e Maira fazem treinos de oito horas. De 2015 até 2019, Bernardo e Maira representaram sempre o Clube Desportivo e Recreativo do Fogueteiro. Actualmente, representam uma nova escola, a DanceStep.

“Eu e a Maira fazemos ainda parte da equipa da Selecção Nacional de Dança Desportiva da Federação Portuguesa de Dança Desportiva. Começámos a dançar em 2015 e, desde 2016, representamos Portugal nos Campeonatos da Europa e do Mundo”, explica Bernardo. “Em 2019, vencemos a nossa primeira prova internacional da World Dancesport Federation (federação mundial reconhecida pelo Comité Olímpico Internacional, que rege a dança desportiva a níve

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.