Viver

É oficial, Menino do Lapedo é "tesouro nacional"

7 jun 2021 15:11

Igreja de Coz, em Alcobaça, passa a "monumento nacional"

e-oficial-menino-do-lapedo-e-tesouro-nacional
Enterramento de criança com cerca de 25 mil anos foi descoberto em 1998, no Vale do Lapedo, Leiria
DR
Redacção/Agência Lusa

Saiu, hoje, em Diário da República, a classificação do esqueleto do Menino do Lapedo, descoberto em Leiria em 1998,como "tesouro nacional", tal como o JORNAL DE LEIRIA já havia anunciado, em Abril.

Os “artefactos arqueológicos associados”, em depósito no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, também passam a fazer parte do "tesouro nacional".

O Menino do Lapedo foi encontrado em 1998, no Abrigo do Lagar Velho, no vale do Lapedo, freguesia de Santa Eufémia, a cerca de dez quilómetros de Leiria.
 
O esqueleto tem cerca de 29 mil anos e constituiu um acontecimento marcante no seio da paleoantropologia internacional, por se tratar do primeiro enterramento Paleolítico escavado na Península Ibérica e por ter ajudado a solidificar e a tornar aceite a teoria de que teria havido uma miscigenação entre duas espécies diferentes de seres humanos modernos, o homo sapiens e o Homem de Neandertal.

Também no distrito de Leiria, a Igreja e Convento de Santa Maria de Coz, no concelho de Alcobaça, passou a ser designada como “monumento nacional”.

No Diário da República são ainda elevados o conjunto de Coimbra constituído pelos três edifícios do Seminário Maior, além dos jardins e muros envolventes, que passa a ter o estatuto de “monumento nacional”.

No concelho de Penela, também no distrito de Coimbra, o Conselho de Ministros reclassifica igualmente a Villa Romana do Rabaçal como “monumento nacional”.

A Igreja de São Miguel, em Castelo Branco, obtém a mesma classificação, que abrange o património móvel nela integrado, tendo sido redenominada como Sé de Castelo Branco – Igreja de São Miguel.

Através do mesmo diploma, o Governo designa igualmente como “tesouro nacional” uma laje votiva em língua lusitana proveniente do Monte do Coelho, em Arronches, distrito de Portalegre, uma placa em mármore com representação escultórica da Virgem com o Menino, atribuída a Gregorio di Lorenzo, incorporada na coleção da empresa Parques de Sintra – Monte da Lua, e uma píxide (vaso onde são guardadas as hóstias consagradas) do século XVI, pertencente a uma colecção particular.

Um conjunto de 29 estelas decoradas, provenientes do Cabeço da Mina, em Vila Flor, distrito de Bragança, passa a ser também considerado “tesouro nacional”, segundo aquele decreto.

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.