Sociedade

Estudo atesta “bom funcionamento” da ETAR  das Olhalvas, mas sugere medidas de “optimização”

28 jul 2021 12:07

Estudo, feito pelo Politécnico de Leiria, destaca a importância da ETAR, localizada numa das entradas da cidade, na “preservação do rio Lis”.

estudo-atesta-bom-funcionamento-da-etar-das-olhalvas-mas-sugere-medidas-de-optimizacao
Entre as propostas apresentadas, estudo sugere a introdução de tratamento terciário na ETAR das Olhalvas
DR

O estudo realizado pelo Politécnico de Leiria (IPL) sobre a ETAR das Olhalvas evidenciou “a importância desta infra-estrutura na preservação do rio Lis” e na “melhoria da qualidade” do curso de água e atestou o seu “bom funcionamento e eficiência”, revela a Águas do Centro Litoral (AdCL). 

De acordo com um comunicado divulgado esta manhã pela empresa, o estudo concluiu ainda que a ETAR das Olhalvas “cumpre a licença de descarga atribuída”, sugerindo, no entanto, “algumas medidas de optimização”. 

“Devido às características do meio receptor, que tem uma baixa capacidade de auto-depuração, e no que respeita aos limites de nutrientes, o estudo sugere algumas medidas de optimização para reduzir esses valores”, adianta a AdCL. 

Entre as medidas propostas está, segundo o comunicado da empresa, “a instalação de instrumentação de medição e controlo de oxigénio dissolvido em contínuo nos tanques de arejamento”.

A introdução de um processo de tratamento terciário ou de “precipitação química por adição de cloreto férrico após tratamento biológico, para melhor remoção de fósforo”, são outras das sugestões apresentadas no estudo, elaborado por uma equipa multidisciplinar do Politécnico, que integrou especialistas na área do tratamento e da reutilização de águas residuais. 

Segundo a AdCL, as propostas serão agora analisadas, “nomeadamente a nível da sua viabilidade técnico-financeira para posterior pedido de aprovação pela secretaria de Estado do Ambiente e subsequente desenvolvimento de projectos e procura de co-financiamentos”. 

Outra consideração do estudo, tida como “importante” pela AdCL, é a relação entre o caudal e cargas poluentes afluentes à ETAR e a pluviosidade mensal.

“O seu funcionamento e consequente uniformidade do efluente, beneficiariam de um melhor conhecimento da rede de colectores de águas residuais do sistema de saneamento em 'baixa', do controlo de ligações indevidas de águas pluviais e da verificação do seu estado de conservação”, refere a AdCL. 

No comunicado, a empresa sublinha, no entanto, que essas redes estão “fora das infra-estruturas” sob a sua gestão, pelo que “é essencial um diálogo com as diferentes entidades gestoras do sistema em 'baixa' e actuação conjunta”. 

O estudo, que resultou de uma parceria entre o Politécnico, a AdCL e da Câmara de Leiria, contemplou também uma campanha de monitorização das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Lis, a montante e jusante da ETAR, entre Outubro de 2020 e Abril de 2021.   

Realizado no último ano, o estudo pretendeu recorrer à capacidade técnico-científica instalada na instituição de ensino para a prestação de assessoria técnica e investigação científica na “definição das melhores metodologias e estratégias visando a requalificação/ modernização da ETAR das Olhalvas, a mitigação do impacto que ainda tem no contexto em que se insere e as possibilidades de reutilização de parte da água tratada, numa perspectiva de uso racional”. 

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.