Sociedade

Eunice Neves: De Leiria para a Austrália para aprender com os pioneiros da permacultura

25 jul 2020 12:00

Arquitecta paisagista sonha em levar princípios da agricultura sustentável a campos de refugiado.

eunice-neves-de-leiria-para-a-australia-para-aprender-com-os-pioneiros-da-permacultura
Eunice Neves (à esquerda) acompanhada pela sua grande mentora, Rosemary Morrow
DR
Maria Anabela Silva

Levar os princípios da permacultura, assentes na sustentabilidade, a zonas precárias, nomeadamente a campos de refugiados, é um dos sonhos de Eunice Neves, arquitecta paisagista, natural de Leiria, que há mais de uma década se apaixonou por esta forma de fazer agricultura sem destruir a natureza. Uma paixão que a levou até à Austrália, onde vive, para aprender com os pioneiros da permacultura.

Actualmente, trabalha numa quinta, localizada no sul do país, a partir da qual tem também colaborado com a sua mentora, Rosemary Morrow, no desenvolvimento de projectos com refugiados em países como a Grécia, Bangladesh, Turquia ou Filipinas.

“Poder levar esperança e empoderamento a pessoas que vivem em zonas precárias é algo que gostava muito de fazer”, confessa Eunice Neves, que nos últimos anos apoiou Rosemary Morrow na concretização de projectos de permacultura em campos de refugiados. “Ela ajudou a redesenhar as condições terríveis em que vivem aquelas pessoas, para que pudessem produzir alguns alimentos e ter água potável. Apoiei à distância com a parte logística”, conta a arquitecta, que tem também trabalhado num projecto que um aluno da sua mentora está a desenvolver no Afeganistão.

Aqui, a missão é “resenhar uma escola”, localizada em “cenário de guerra”, e transformá-la num “modelo de permacultura”, que permita “empoderar a comunidade local”. Também aqui, a colaboração de Eunice Neves é à distância, mas suficientemente próxima para alimentar a vontade de ir mais além.

Nascida em Leiria, Eunice Neves licenciou-se em Arquitectura Paisagista pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (2001- 2007), tendo feito o estágio na Holanda. Em 2009, foi para o Nepal como voluntária para trabalhar numa aldeia ecológica que acolhe crianças órfãs, uma experiência que mudou a s

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.