Sociedade

Média da tarifa fixa de abastecimento de água aumentou 22,7% no distrito de Leiria

16 abr 2021 12:02

Na Batalha, uma família de sete pessoas paga em média duas vezes mais do que uma pessoa apenas

media-da-tarifa-fixa-de-abastecimento-de-agua-aumentou-227percent-no-distrito-de-leiria
Estudo da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas
Nicolas Comte@Unsplash

Segundo a 6.ª edição do Estudo Comparativo dos Tarifários de Abastecimento de Água de Portugal, realizado pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN), a discriminação no custo da água para as famílias de maiores dimensões continua igual à verificada nos últimos anos, considerando o município onde vivem e a dimensão familiar.

Segundo a APFN, no município de Batalha, por exemplo, uma família de sete pessoas paga, em média, €1,25/m3, duas vezes mais do que uma pessoa sozinha, 0,55, por cada metro cúbico de água consumida.

"Relativamente ao município de residência, encontram-se também disparidades dentro do distrito de Leiria em 2020. Por exemplo uma pessoa paga €3,71/mês se viver na Marinha Grande, enquanto se viver no Bombarral essa mesma pessoa paga €6,66/mês.

Segundo a APFN, a média da tarifa fixa de abastecimento de água do distrito de Leiria de 2020 aumentou mais de 22%, face a 2019.

O preço médio da tarifa fixa de abastecimento de água do distrito de Leiria em 2020 fixou-se em €3,67 (era 2,99, em 2019), por mês, acima do preço médio da tarifa nacional que foi de €3,23 por mês.

No que diz respeito à tarifa variável, em 2020 o preço médio no distrito de Leiria foi de €0,87/m3 consumido (idêntico a 2019) e foi superior ao da média nacional (€0,81/m3).

A associação considera assim que o nível de justiça do custo da água, em Portugal, no ano de 2020, "sofreu um recuo face a 2019".

"Em 2020 observou-se um agravamento da discriminação ao nível do local de residência das famílias, através de um aumento das disparidades do preço base da água."

A APFN defende que deve ser considerado o consumo, per capita, de cada casa - com todos os elementos que nela habitam, descendentes e ascendentes - e não o consumo total, para que, "efectivamente um copo de água custe o mesmo para todos.

No último ano 131 municípios pioraram o seu nível de justiça na dimensão familiar face a 2019. Destas autarquias, 103 contemplam na sua estrutura tarifária a tarifa familiar da água.

Para um aumento do nível de equidade em Portugal, é importante reduzir as disparidades acentuadas no preço base da água e implementar tarifários familiares que venham efetivamente corrigir as graves distorções no custo da água em Portugal."

A APFN chama ainda atenção para a volatilidade que existe no tratamento de alguns tarifários pelos municípios, que fazem registar diferenças anuais significativas, penalizando as famílias e retirando-lhes a capacidade de previsão dos gastos familiares.

Por exemplo, o município de Castanheira de Pera (distrito de Leiria) em 2019 ocupava a posição 58.ª no ranking e registou uma queda para o lugar 171.º em 2020 no Ranking da Água da 6.ª edição do Estudo Comparativo dos Tarifários de Abastecimento de Água de Portugal.

Fonte: Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Em 2020, surgiram dez novos tarifários familiares, entre eles o município de Figueiró dos Vinhos (distrito de Leiria), subindo para 215 (70% do total nacional) o número de autarquias com esta tarifa de abastecimento de água.

A 6.ª edição do Estudo da Água promovido pela Associação Portuguesa das Famílias Numerosas (APFN) para o ano de 2020, pode ser consultada na íntegra aqui e o Ranking da Água aqui.

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.