Economia

Politécnico de Leiria imprime produtos verdes em 3D a partir de plástico recolhido do mar

31 ago 2021 12:45

Projecto CircularSeas promove a redução do impacto ambiental nos oceanos

Selecção do plástico recolhido no mar
Selecção do plástico recolhido no mar
Politécnico de Leiria
Selecção do plástico recolhido no mar
Selecção do plástico recolhido no mar
Politécnico de Leiria
Selecção do plástico recolhido no mar
Selecção do plástico recolhido no mar
Politécnico de Leiria
Selecção do plástico recolhido no mar
Selecção do plástico recolhido no mar
Politécnico de Leiria

O CDRSP – Centro para o Desenvolvimento Rápido e Sustentado de Produto (CDRsp), do Politécnico de Leiria está a trabalhar na melhoria da valorização dos resíduos de plástico marítimos, resultante das indústrias marítimas e também deixados, como, forma de poluição, nas praias, para os converter em produto útil, através da tecnologia de impressão 3D.

É o caso das caixas para peixe ou moldes termoplásticos para barcos, para as actividades económicas das indústrias marítimas, exemplifica um comunicado do Politécnico de Leiria.

O centro dinamiza, em Portugal, o projecto CircularSeas sendo um dos parceiros desta acção cujo fim é encorajar a comunidade a recolher os plásticos dos oceanos, promovendo a sua despoluição, reduzir o uso de peças de base plástica na indústria marítima, nos sectores da pesca e estaleiros, e diversificar as actividades económicas ligadas ao crescimento verde.

Esta iniciativa teve início a 1 de Abril de 2019 e terminará a 31 de Março de 2022.

"Este trabalho consolida a missão do CDRSP na área da investigação como líder da manufactura directa digital, e reforça o seu posicionamento nacional e internacional na área da economia circula", refere Nuno Alves, director do CDRsp.

O CircularSeas conta com o cofinanciamento da União Europeia de 1.497.625,65 euros, através do European Regional Development Fund integrado no Interreg Atlantic Area Programme.

São cinco os países envolvidos nas entidades parceiras do projecto: Leartiker, da Azaro Fundazioa, que lidera, e Universidade de Vigo (Espanha); Cork Institute of Technology (Irlanda); University of Plymouth (Reino Unido); Communauté d’Agglomération de La Rochelle da Université de La Rochelle (França); e CDRsp do Politécnico de Leiria (Portugal).

Os locais onde decorre a recolha de resíduos de plástico são: Peniche (Portugal); Ondarroa e Vigo (Espanha), La Rochelle (França); Cork (Irlanda); e Plymouth (Reino Unido).

Em Portugal, a separação e selecção, lavagem e destruição do plástico marítimo (criação de granulado) decorreu nas últimas semanas, e o objectivo é realizar o processo de tratamento desse material para a criação de novos produtos verdes.

 
Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.