Sociedade

Turismo do Centro quer mais de 2 milhões de visitas em Alcobaça, Batalha e restante património UNESCO

3 jun 2021 09:52

Plano foi apresentado ontem no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha

turismo-do-centro-quer-mais-de-2-milhoes-de-visitas-em-alcobaca-batalha-e-restante-patrimonio-unesco
Alcobaça e Batalha irão receber vários espectáculos
Ricardo Graça/Arquivo
Redacção/Agência Lusa

O Turismo Centro Portugal anunciou ontem que quer superar os dois milhões de visitantes no conjunto dos lugares património mundial da UNESCO de Alcobaça, Batalha, Coimbra e Tomar.

As medidas para aumentar o número de visitas deverão alcançar o objectivo a partir da Páscoa de 2022. Pelo menos, foi essa a intenção anunciada pelo presidente da instituição, Pedro Machado.

Na apresentação da programação Lugares Património Mundial do Centro - Rede Cultura 2.0, o responsável considerou que após a próxima Páscoa haverá “condições de voltar a ter a ambição de se reunir dois milhões de visitantes nestes locais”, referindo-se aos mosteiros de Alcobaça e da Batalha, ao Convento de Cristo, em Tomar, e à Universidade de Coimbra - Alta e Sofia.

O responsável entende que o programa anunciado, que vai custar meio milhão de euros (300 mil euros de fundos comunitários e 200 mil investidos pelas autarquias), será “um fortíssimo contributo para a sustentabilidade do destino que é este Centro de Portugal”.

Até 2022, “Lugares Património Mundial do Centro - Rede Cultural 2.0” apresentará naqueles espaços concertos e uma exposição.

“Este é um projecto inovador, que marca esta simbiose feliz de juntar a cultura com a promoção turística nestes patrimónios com dimensão internacional”, considerou o presidente da Câmara da Batalha, em nome das autarquias promotoras.

Paulo Batista dos Santos acredita que, "nesta versão 2.0", do Lugares Património Mundial do Centro, se tentará mostrar “o lado B dos monumentos e contar novas histórias em torno destes monumentos de referência - e em todos estes sítios haverá histórias a conhecer e a promover”.

A Orquestra Clássica do Centro (OCC) é co-promotora do projeto e atravessa quase toda a programação, participando em Alcobaça numa homenagem a António Victorino d’Almeida a 24 de Julho.

Para a mesma cidade está previsto um concerto do projecto Amália Hoje no próximo ano, em frente ao mosteiro.

Na Batalha, o mosteiro receberá, em Setembro, a OCC com músicos convidados nacionais e locais e também acolhe o projecto “Trovas” em 2022.

Na zona baixa de Coimbra, nos dias 27 de Junho e 18 de Julho, há espectáculos de fado com visita guiada aos edifícios classificados como património mundial.

No dia 5 de Novembro, a OCC actua com os Quinta do Bill e com elementos das filarmónicas locais, no Convento São Francisco, e, a 13 de Novembro, será inaugurada na Sala da Cidade a exposição Anozero - Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra.

Vários concertos integrados na programação Tomar Cultura Viva vão acontecer no Mouchão, durante Julho, Agosto e Setembro, recebendo a Várzea Grande a actuação da OCC, com Quinta do Bill e Orquestra de Sopros do Médio Tejo, no dia 4 de Setembro.

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.