Viver

Cine-Teatro, um marco da arquitectura Korrodi na cultura de Alcobaça

27 dez 2019 10:20

Edifício emblemático celebra 75 anos com mais público e espectáculos

cine-teatro-um-marco-da-arquitectura-korrodi-na-cultura-de-alcobaca
Espaço cultural completou 75 anos
DR
Daniela Franco Sousa

Obra emblemática com assinatura Korrodi, o Cine -Teatro de Alcobaça completou 75 anos na semana passada. Apesar da passagem do tempo, o edifício mantém a beleza de sempre e uma energia juvenil, com o número de espectáculos e de espectadores a aumentar. De acordo com os dados cedidos pela Câmara de Alcobaça ao JORNAL DE LEIRIA, nos últimos cinco anos anos, entre 2014 e 2018, o Cine-Teatro de Alcobaça - João D'Oliva Monteiro ganhou mais de três mil espectadores anuais, passando de 14184 para 17358 pessoas.

E também o número de espectáculos realizados subiu de 126 para 138, com uma programação variada, que inclui eventos de teatro, dança, música, serviços educativos e iniciativas de carácter multidisciplinar.

Inaugurado a 18 de Dezembro de 1944, o Cine- Teatro de Alcobaça é considerado por muitos um dos mais belos do País, realça a Câmara de Alcobaça. E “é ao espírito empreendedor de João D’Oliva Monteiro que se deve a idealização desta nova sala de espectáculos da autoria do ilustre arquitecto suíço que se estabeleceu em Leiria em 1890, Ernesto Korrodi, e de seu filho Camilo Korrodi”, salienta a Autarquia.

O edifício do Cine-Teatro de Alcobaça é um feito importantíssimo não só na carreira dos arquitectos Korrodi, como também na história da arquitectura portuguesa dos anos 40, nota o Município. “Não se pode deixar de salientar o grande interesse arquitectónico do painel escultórico em baixorelevo na fachada principal, da autoria de Luís Fernandes, que tanto brilho confere àquele edifício”, frisa a Câmara Municipal. “O estilo arquitectónico do Cine-Teatro de Alcobaça é só por si bastante interessante uma vez que conjuga harmoniosamente vários estilos e períodos.

O arquitecto Ernesto Korrodi (pai) era claramente um defensor da Arte Nova, enquanto que seu filho, Camilo, seguia as novas correntes arquitectónicas em voga, inserindo no edifício alguns elementos dos finais do período da Arte Déco com transição para o Modernismo/Funcionalismo, o que conduziu ao resultado a que muitos nos habituámos a ver ao longo dos anos”, prossegue o Município.

No programa inaugural de 18 de Dezembro de 1944 constava a comédia em três actos – A velha rabugenta, da Companhia da actriz Maria Matos. Nos dias 19 e 20 de Dezembro, a mesma companhia apresentou as peças a Marechala e o Fiel Amigo, cada uma delas também com três actos. Depois disto, o Cine-Teatro foi apresentando peças de teatro, revistas, concertos e filmes ao longo dos anos, tornando-se o foco principal da vida social e cultural de Alcobaça e seus arredores.

Em 1998, a Câmara Municipal de Alcobaça adquiriu o edifício com o intuito de proceder à sua recuperação e o espaço reabriu ao público em 2004 completamente reabilitado e adaptado às novas necessidades.

Pelo Grande e pelo Pequeno Auditório, salas com 315 e 64 lugares, respectivamente, têm passado nomes maiores da cultura portuguesa e internacio

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO