Sociedade

A face boa da Covid-19: menos crimes, menos acidentes e menos poluição

23 abr 2020 12:17

Novo coronavírus obriga a confinamento da população

a-face-boa-da-covid-19-menos-crimes-menos-acidentes-e-menos-poluicao
Com mais polícia na rua e os cidadãos em teletrabalho, a criminalidade baixou, assim como a sinistralidade
Ricardo Graça
Elisabete Cruz e Maria Anabela Silva

São inegáveis os impactos severos da Covid-19 na população e na economia do País e do mundo. Mas, como em tudo, uma crise desta dimensão pode ter consequências benéficas.

A redução temporária dos níveis de poluição atmosférica é uma das faces boas da pandemia. Mas há mais: também a criminalidade baixou, assim como a sinistralidade. Olhando para os dados da poluição, estes indicam que a Covid-19 está a fazer maravilhas pelo ambiente.

Os dados recolhidos pela estação de monitorização da qualidade do ar localizada na Ervedeira, freguesia do Coimbrão, concelho de Leiria - a única que encontra a funcionar, uma vez que a da Escola Superior de Tecnologia e Gestão está inoperacional – evidenciam uma quebra na ordem dos 50% das emissões de NO2 (dióxido de azoto).

A análise é feita por um grupo de investigadoras da Universidade da Aveiro (Departamento de Ambiente e Ordenamento e Centro de Estudos do Ambiente e do Mar), que tem vindo a tratar os dados recolhidos através do sistema QualAr, uma rede composta por 68 estações que diariamente mede a qualidade do ar em todo o território nacional.

O objectivo, explica Myriam Lopes, é perceber o antes e o depois Covid-19. Para já, o tratamento estatístico dos dados mostra uma diferenciação “clara” entre dois períodos: o primeiro de 1 de Janeiro a 16 de Março, data em que foram encerradas as escolas, e o segundo depois deste fecho e a declaração do estado de emergência.

No caso da Ervedeira, e de acordo com os cálculos feitos pelas investigadoras da Universidade de Aveiro, até 16 de Março, foram registados valores médios de NO2 de 3,77 microgramas por metro cúbico (mg/m3), valor que baixou para 2,61, entre 16 e 20 de Março, que corresponde à primeira semana com as escolas fechadas.

Nos dias seguintes, até 15 de Abril, já com o País em estado de emergência, a média desceu ainda mais (1,9 mg/m3).

“Sendo esta [Ervedeira] uma estação rural, normalmente com concentrações de NO2 baixas (este poluente está maioritariamente associado à combustão e em particular ao tráfego rodoviário), ainda assim é possível observar uma melhoria da qualidade do ar”, nota Myriam Lopes, frisando que o impacto da Covid-19 “é mais evidente nas estações urbanas de tráfego”.

Nestas, após o dia 16 de Março, registaram-se reduções das concentrações de NO2 “da ordem dos 40% a 90%”.

No caso das micropartículas conhecidas como PM10 , um dos poluentes “mais críticos em Portugal e na Europa, com excedências ao valor limite registadas todos os anos”, não existiu uma redução generalizada, o que, segundo a investigadora, pode ser explicado pelo facto deste poluente estar associado também a outras outras fontes de emissão, nomeadamente ao aquecimento doméstico, indústria e ainda a fontes naturais, como transporte das poeiras do deserto do Sahara.

“Há algumas estações/locais onde se verificam reduções da ordem dos 20-30% [nas PM10], mas noutras nenhuma redução é verificada”, adianta Myriam Lopes. No caso da Ervedeira, registou-se uma diminuição próxima dos 33%, passando de um valor médio de 23.5 mg/m3, registado até 16 de Março, para 15,85 mg/m3 no período entre 20 de Março a 15 de Abril.

Criminalidade diminuiu

Com menos 122 crimes, na janela temporal de 13 a 31 de Março, a PSP confirma uma diminuição de 49% da criminalidade geral no distrito de Leiria, em comparação com o período homólogo de 2019.

Na tipologia dos crimes, a grande quebra ocorre na condução de veículo sob o efeito de álcool, na ameaça e coacção, nos furtos em edifícios comerciais ou industriais e outras burlas.

No entanto, os ilícitos ligados ao furto em áreas anexas à residência e a veículos motorizados cresceram, registando-se mais três e seis crimes, respectivamente. “A PSP regista, com agrado, um elevado grau de adesão da população ao quadro legal em vigor e às recomendações das autoridades de saúde e às restrições em vigor, apelando a todos os cidadãos para que mantenham esse comportamento, essencial à contenção da pandemia”, refere o comandante distrital, numa resposta escrita.

Já depois do fecho da edição, o Comando Territorial da GNR de Leiria informou que, na sua área de responsabilidade no distrito, de 13 a 31 de Março de 2020, foram registados 92 acidentes, três feridos graves e 25 feridos leves. Foram ainda registados 474 autos de contra-ordenação ao Código da Estrada.

Estes números contrastam bem com a sinistralidade que ocorreu no mesmo período de 2019, quando ocorreram 216 acidentes, resultando quatro feridos graves e 68 feridos leves. Foram ainda registados 2.468 autos de contra-ordenação ao Código da Estrada.

Relativamente à criminalidade, a GNR registou 326 denúncias em 2019, número que diminuiu para 140 este ano.

 

Dados da GNR pelo tipo de crime
(13 a 31de Março)

  2019

 2020

Contra a vida em sociedade

78

11

Contra animais de companhia

1

3

Contra as pessoas

76

38

Contra o Estado

6

7

Contra o património

135

75

Previstos em legislação avulsa

30

6

Total Geral

326

140

 

 

 

Os números

1


No Comando Distrital da PSP de Leiria está confirmada a infecção de um agente pelo novo coronavírus. Existem ainda dois polícias em isolamento
 

53%


Os crimes considerados violentos e graves registaram uma redução de 53% no Comando Distrital da PSP de Leiria
#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.