Economia

Hamburguerias, uma moda que está a conquistar a região

8 jul 2016 00:00

Reinventaram o hambúrguer tradicional. Juntaram-lhe ingredientes mais ou menos improváveis, introduziram-lhe design e requinte. São as hamburguerias artesanais, um negócio em crescendo também na região.

hamburguerias-uma-moda-que-esta-a-conquistar-a-regiao-4593
Maria Anabela Silva

Hambúrguer de salmão, de cherne ou de bacalhau. Vegetariano, de frango ou de secretos de porco preto. Com alheira, linguiça, farinheira, queijo da Serra ou de cabra. Regado com molho de leitão, de chocolate, de ameixa, caril ou de coco ou com cebola caramelizada em vinho da Madeira. Servido no prato ou em pão, seja ele preto (tinta de choco), verde ou vermelho. Acompanhado com legumes salteados, arroz integral ou saladas, que misturam ingredientes como rúcula ou agrião.

Estas são algumas das propostas que podemos encontrar nas várias hamburguerias artesanais, que, nos últimos tempos, têm aberto na região, importando uma moda que está a florescer nas principais capitais europeias, nomeadamente, em Lisboa. Só na cidade de Leiria existem, pelo menos, cinco espaços destes. O mais recente – a Oficina do Hambúrguer – abriu há menos de um mês, na Rua Capitão Mouzinho de Albuquerque. Alcobaça e Nazaré são outras da localidades do distrito com este tipo de oferta.

O conceito base das hamburguerias artesanais passa por trabalhar o hambúrguer de forma diferente das grandes cadeias do sector, para responder às crescentes preocupações com a alimentação e com a procura de produtos frescos. A aposta assenta na qualidade dos ingredientes, a começar pela carne, que deve ser picada na hora e sem recurso a “qualquer tipo de processamento”. Depois, há todo um cuidado na apresentação final do prato, que chega à mesa do cliente quase como se tratasse de um produto exclusivo, feito a pensar nele. Também a decoração dos espaços é trabalhada ao pormenor.

“A ideia é oferecer um conceito de slow food, que permita apreciar o conjunto de sabores, paladares e aromas e desfrutar da qualidade”, explica Carlos Alves, proprietário da Alta Burguesia. Localizada na Rua da Graça, junto à Praça Rodrigues Lobo, em Leiria, a hamburgueria abriu portas há cerca de um ano, por influência do que se passa em Lisboa, onde a “moda já dura há quatro ou cinco anos”, diz o empresário, frisando que esta “é uma das grandes tendências actuais da restauração”.

Para Vasco Ferreira, proprietário do Chico Lobo/Gastropub, onde o hambúrguer artesanal representa “cerca de 60%” do número de refeições, uma das razões do crescimento deste tipo de estabelecimentos prende-se com a “valorização” que é feita de um alimento antes associação ao “barato e do pouco saudável”. “Pegou-se num clássico da alimentação para o transformar num produto premium, com design e apresentação. É um clássico diferente”, concretiza o empresário de Leiria.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.