Economia

Leitão está mais caro e "a culpa é dos chineses", dizem os assadores

26 dez 2019 10:04

Os assadores de leitão queixam-se de uma subida drástica do preço dos animais. Os produtores estão a apostar na exportação de carne para a China e resta pouco para o mercado nacional

leitao-esta-mais-caro-e-a-culpa-e-dos-chineses-dizem-os-assadores
Maior parte da produção nacional está fixada na região Centro e de Lisboa e Vale do Tejo
Ricardo Graça
Daniela Franco Sousa

Se conta ter leitão assado este réveillon, como é tradição na região de Leiria, saiba que talvez tenha de o comprar a preço mais elevado do que é usual. Os assadores de leitão estão a adquirir os animais a preços mais elevados aos produtores e atribuem a subida do valor à escassez de animais no mercado nacional, desde que teve início a exportação de carne de porco para a China.

Enquanto tentam esmagar as margens de lucro para proteger o consumidor final, os comerciantes dizem estar a prejudicar o negócio. “É uma diferença de preço brutal, que o cliente não pode suportar. É um disparate, uma aberração”, desabafa Lucília Silva, proprietária do Mister Leitão, estabelecimento situado em Fátima.

“Não estou a perder os meus clientes, porque estamos nós a suportar essa subida. Mas ninguém está interessado em ter um negócio para perder dinheiro”, expõe a comerc iante, que aponta o dedo aos produtores: “Preferem exportar carne de porco para a China, porque lhes dá mais lucro, do que apostar na c riação de leitões para o mercado nacional”.

Esta é também a perspectiva do marido e parceiro de negócio no Mister Leitão, José Miguel, para quem há ainda um certo “aproveitamento” da época festiva para aumentar os preços.

Com cada unidade 20 a 25 euros mais cara, o impacto na rentabilidade é óbvio. Diz que tem cobrado apenas mais dois euros por quilo, para evitar que os clientes passem a comprar outros produtos.

Fernando Silva, responsável pelo restaurante Quinta do Leitão, em Ponte da Pedra, Leiria, cria os seus próprios leitões, que assa e comerc ializa. Esta estratégia permitelhe manter o preço final do leitão assado, que continua a chegar ao consumidor final a cerca de 100 euros por unidade.

“Percebi logo que este aumento de preço iria acontecer desde que foram abertas as exportaçõesà China. Creio que os meus colegas que assam vão ter de subir os preços, uma vez que também estão a comprar os leitões mais c aros aos produtores”, refere Fernando Silva, lembrando que se há mais procura e menos oferta, o valor sobe forçosamente.

David Neves, presidente da Associação de Suinicultores de Leiria, confirma um aumento no preço do leitão e da carne de porco, no geral, na ordem dos 30%, acompanhando uma conjuntura mundial, onde a China tamb&eacut

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.